sexta-feira, 13 de dezembro de 2019

Caixa reduz juros de crédito imobiliário e cheque especial

10:37:00
Foto: Pillar Pedreira/Agência Senado

Taxa mínima cai para 6,5% ao ano e 4,95% ao mês, respectivamente.

A Caixa Econômica Federal anunciou nesta quinta-feira (12) redução dos juros em três linhas de crédito, após o Banco Central cortar a taxa básica de juros ontem. Em geral, a redução é maior conforme o cliente tem mais relacionamento com o banco, ou seja, contrata mais produtos.

A notícia já repercute no setor de construção civil, com as ações da MRV em forte alta de 5,4% por volta das 13h.

A taxa mínima fixa do crédito imobiliário da Caixa passou de 6,75% ao ano mais a TR (Taxa Referencial), hoje zerada, para 6,5% ao ano mais a TR. A linha só vale para quem tem conta na Caixa, recebe salário pelo banco e tem outros produtos contratados.

Quem recebe salário pelo banco também teve os juros do cheque especial reduzidos de 4,99% ao mês para 4,95% ao mês.

Clientes que apenas tem conta corrente terão os juros do cheque especial reduzidos de 8,99% ao mês para 8% ao mês. Entretanto, essa última redução apenas antecipa uma decisão do BC (Banco Central), que obrigará os bancos a fixar o teto de 8% para essa linha de crédito.

Anunciada no final de novembro, a medida do BC também permite que os bancos cobrem uma tarifa mesmo de quem não usa o cheque especial, apenas para ter o limite disponível. A partir de 1º de junho, basta ter um limite de cheque especial acima de R$ 500 para ser obrigado a pagar essa tarifa. As novas taxas para financiamento imobiliário da Caixa valem a partir de segunda-feira (16), enquanto a queda dos juros no cheque especial só começa em 2 de janeiro de 2020.

TAXA MENOR PARA SERVIDOR PÚBLICO


O presidente da Caixa, Pedro Guimarães, disse que, para conseguir uma taxa de juros de 6,5% mais a TR no crédito imobiliário, o cliente depende de um nível de relacionamento com o banco, que vai além de receber o salário na instituição financeira.

Essas relações passam por outros produtos, outras operações de crédito, cartões. Cliente com relação de longo prazo acaba tendo uma taxa menor

Servidores públicos que recebem o salário pela Caixa e têm algum nível de relacionamento com o banco terão acesso a juros de 7,25% ao ano mais TR no crédito imobiliário. Trabalhadores do setor privado com as mesmas condições terão taxas a partir de 7,75% ao ano mais a TR.

BC CORTOU JUROS BÁSICO


O anúncio da redução dos juros do crédito imobiliário na Caixa acontece no dia seguinte à queda da taxa básica de juros (Selic). Ontem (11), O Copom (Comitê de Política Monetária) do Banco Central decidiu baixar a Selic em 0,5 ponto percentual, de 5% para 4,5% ao ano. Essa foi a quarta redução seguida dos juros. Com isso, a Selic atinge seu menor nível na história (o Copom foi criado em 1996).

Essa foi a última reunião do Copom no ano. O próximo encontro do comitê para decidir os juros acontece em 4 e 5 de fevereiro.

A Selic é a taxa básica da economia e serve de referência para outras taxas de juros (financiamentos) e para remunerar investimentos corrigidos por ela. A taxa não representa exatamente os juros cobrados dos consumidores, que são muito mais altos.

Segundo os últimos dados divulgados pelo BC, a taxa de juros média do cheque especial, por exemplo, foi de 305,9% ao ano em outubro, enquanto a do rotativo do cartão foi de 317,2% ao ano.

Fonte: folha.uol.com.br / Dezembro 2019

quinta-feira, 28 de novembro de 2019

Mercado está aquecido para realização do sonho da casa própria

03:41:00
Fonte: Freepik

Redução dos juros, expansão do crédito e perda da atratividade nas aplicações financeiras provocam um aumento na procura por imóveis. Demanda, no entanto, tende a ser maior que a oferta, avaliam corretores e empresários do setor.

O mercado está aquecido e a hora é apropriada para a realização do sonho da casa própria, para quem ainda paga aluguel, ou para a troca do imóvel atual por um maior, ou ainda para investir no setor — já que as aplicações financeiras tradicionais começam a ficar pouco atrativas. O incentivo ao movimento dos consumidores, de acordo com especialistas, é porque inflação e juros estão baixos, e o crédito imobiliário vem se expandindo. Mas como o estoque disponível é pequeno, a demanda tende a ser maior que a oferta. A pressão vai fazer os preços ficarem mais salgados. Portanto, quem estava esperando uma oportunidade, deve aproveitar enquanto é tempo, aconselham.

“Nunca tivemos um momento tão oportuno para comprar imóvel. Os estoques estão próximos a zero. Temos lançamentos. As construções que ficarão prontas daqui a um ano, já estão com 50% das unidades vendidas”, afirma Wilson Charles Oliveira, diretor comercial da Construtora Emplavi, especializada em imóveis de alto padrão. O ano de 2018, segundo ele, foi muito bom para a empresa. Mas em 2019, até setembro, já vendeu 20% de unidades a mais — com alta de semelhante percentual no faturamento. Ele prevê que esse “ciclo de desenvolvimento” vai também movimentar o mercado de usados, na mesma proporção. “As portas estão abertas para a negociação”, afirma Oliveira.

De acordo com o diretor da Emplavi, os investidores também devem estar atentos. Em Brasília, o metro quadrado no bairro Noroeste está em média em R$ 12 mil. No Plano Piloto, varia entre R$ 8 mil a R$ 12 mil. 
“Tanto a caderneta de poupança quanto fundos de investimento e as ações na bolsa tendem a reduzir o retorno. A opção é mudar para um bem seguro, de raiz. Mas lembre-se de que será difícil, daqui a alguns meses, encontrar esses valores”, aconselha. Pedro Ávila, diretor comercial da PaulOOctávio Construtora, ressalta que, na Bolsa de Valores de São Paulo, desde janeiro, os fundos imobiliários já captaram aproximadamente R$ 4,4 bilhões. “Sinal de que os investidores acreditam no mercado. O ano de 2020 será de muitos negócios”, prevê.

Nos cálculos de Ávila, quem compra um imóvel, por exemplo, por R$ 1 milhão terá retorno de 0,3% ou 0,4% ao mês se alugar por R$ 4 mil, cerca de 6% ao ano. Ele também aconselha rapidez na análise de compra da casa própria e dos investimentos. 
“Nosso produto é de construção de longo prazo. Demora cerca de seis a sete anos. Em Brasília, temos 2.708 imóveis, sendo que 73,4% estão em construção e somente 26,6% estão prontos. No início do ano, essa comparação empatava em 50%. Mas com a taxa básica de juros (Selic) em 5%, com tendência a chegar a 4,5% em dezembro, inflação de 2,54%, em 12 meses, e dólar próximo aos R$ 4, tudo mudou. Estamos otimistas. O crescimento é sustentável”, garante.

Mais empregos
Dilton Junqueira, diretor-geral da Brasal Incorporadora, conta que vendas e faturamento cresceram 25% em 2019, em comparação com o ano passado. 
“A alta vem sendo gradual. Em 10 ou 12 meses, nosso estoque praticamente chega ao fim. Aí, vamos ter que aguardar os lançamentos. A tendência é o preço subir”, reitera. Ele ressalta que, além da alta nas vendas dos imóveis residenciais e comerciais, o que deve ser observado com lupa é o comportamento dos investidores. “Começaram a diversificar. Estão se concentrando menos no mercado financeiro. Isso é bom, porque o dinheiro tem que vir mesmo para a produção.”

Junqueira, no entanto, está de olho no crescimento econômico. 
“Ele só virá de forma sustentável com o emprego. É o emprego que gera renda e acesso ao banco e ao crédito. As pessoas precisam de dinheiro para comprar. Por isso, as reformas são importantes para facilitar a liberação de verbas para o setor produtivo abrir vagas”, alerta.

O presidente da Associação de Empresas do Mercado Imobiliário do Distrito Federal (Ademi-DF), Eduardo Aroeira, opina que as perspectivas para o mercado imobiliário são realmente boas. Na capital, de janeiro a setembro de 2019, houve alta de 66% nos lançamentos (25 empreendimentos) em relação a todo o ano de 2018 (15). Além disso, nos nove primeiros meses, a média do Índice de Velocidade de Vendas (IVV) de imóveis residenciais foi de 7,6%. “Somente em setembro, o índice foi de 7,5%, o melhor desempenho para o mês, desde 2015”, revela. O setor leva em conta que um IVV na casa dos 5% representa uma velocidade adequada para a venda de um empreendimento. “É bom ver que o imóvel voltou a ser um investimento”, diz.

No entanto, de acordo com Aroeira, o boom de vendas que ocorreu em 2010 e 2011 não deve se repetir. “Naquela época, o mercado não estava preparado. Houve uma movimentação atípica que, na verdade, não foi de todo positiva. Agora, a atividade vai aumentando de tamanho gradativamente e de acordo com o desempenho da economia”, conta. Ele diz que, entre as várias informações do mercado imobiliário do DF, a pesquisa do IVV aponta a variação do preço médio por metro quadrado em cada região. Em setembro, a Asa Norte registrou o maior valor de oferta: R$ 13.940,50; o mais baixo foi em Santa Maria: R$ 2.941,99.

Os bancos públicos colaboraram bastante para o sucesso do mercado imobiliário, com a oferta de taxas competitivas de financiamento, aponta Pedro Ávila, diretor comercial da PaulOOctávio Construtora. “A Caixa, por exemplo, já começou a oferecer crédito com base na inflação medida pelo Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), tanto para pessoas físicas quanto para jurídicas.” O IPCA mede, mensalmente, o custo de vida de famílias com renda mensal entre 1 e 40 salários mínimos, de acordo com cálculo do IBGE. Nos acumulado do ano até setembro de 2019, ficou em 2,49%, e em 2,54% em 12 meses. O Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC, famílias com rendimentos de um a cinco mínimos) teve a variação acumulada no ano, até setembro, maior que o IPCA: ficou em 2,63%. Nos últimos 12 meses, em 2,92%.

Incentivo
“A importância da correção do crédito pelo IPCA é grande, porque, além de reduzir o valor da mensalidade, está abaixo do INPC, que corrige a maioria dos salários. Isso faz com que, com o tempo, as pessoas não percam a capacidade de bancar as prestações da casa própria. É um incentivo a mais e uma boa estratégia para a queda da inadimplência”, lembra Ávila.

O presidente da Caixa, Pedro Guimarães, afirmou, em setembro, que o banco já havia liberado R$ 200 milhões nesta modalidade de crédito imobiliário em menos de um mês. A instituição recebeu 2,5 milhões de simulações, aprovou R$ 5 bilhões em financiamentos e R$ 600 milhões estavam na esteira de contratação. O perfil da demanda dos clientes, conforme Guimarães, são imóveis com valor entre R$ 250 mil e R$ 300 mil. “É o perfil da Caixa. A redução da mensalidade, de 30% a 40%, tem impacto muito grande justamente naquela população do faixa quatro do Minha Casa Minha Vida, que estava buscando uma alternativa e não tinha.”

Hellen Cristina, 42 anos, é corretora de imóveis. Conta que a procura por apartamentos para compra vem aumentando. “Para se ter uma ideia, fizemos um evento no fim de semana passado e tivemos cerca de 300 visitas dos clientes. Normalmente, recebíamos entre 150 e 200. A mudança nas taxas de juros realmente ajudou o mercado imobiliário”, confirma. Na construtora onde trabalha, quase todos os clientes optam por financiamento bancário. “A taxa de juros está ficando bem interessante. Os clientes estão seguros dela.”

Fonte: Estadão / Novembro 2019

quinta-feira, 14 de novembro de 2019

O impacto da taxa reduzida de juros no mercado imobiliário

05:53:00
 
Fonte: freepik.com

Linhas de crédito com encargos mais baixos e parcelas mensais cerca de 30% menores, atraem os consumidores e aquecem a venda de imóveis.

Com o menor índice desde o início da série do Banco Central, a Selic hoje em 5,5% impulsiona o crédito imobiliário. Isso porque quanto mais o governo reduz a taxa básica de juros, mais os bancos, públicos ou privados, diminuem suas taxas de financiamento de imóveis. Afinal, estão de olho nesse consumidor que, confiante na atual economia do país, vê agora uma grande oportunidade de morar no que é seu.

Gilberto Filho, presidente da Abecip (Associação Brasileira das Entidades de Crédito Imobiliário e Poupança), acredita que as condições atuais de financiamento imobiliário no país são as melhores da história e que, por isso, a tomada de crédito junto às instituições financeiras não para de crescer. E acrescenta a liberação de parte do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS) e a inflação controlada, como fatores que estimulam o consumo e promovem um otimismo maior no setor.

O fato é que diante de tudo isso, o consumidor se vê atraído e motivado a conquistar o seu imóvel próprio. Afinal, com a taxa reduzida, pode chegar a pagar parcelas cerca de 30% menores que há alguns meses atrás.

Líder no mercado de financiamento imobiliário com 69% de participação, a Caixa Econômica Federal (CEF) anunciou novas linhas de crédito. O gráfico a seguir exemplifica uma simulação feita com dois imóveis, de R$ 650 mil e R$ 350 mil, mostrando uma redução de até 32% na prestação mensal.


Fonte: g1.globo.com
 
Com a oferta de crédito, o ideal é o consumidor analisar as linhas e condições oferecidas em cada instituição financeira, para se decidir pela melhor opção, de acordo com o seu perfil, tempo de financiamento e relacionamento com o banco. Atualmente, a taxa mínima estimada oferecida pelo Itaú está em 7,45% a.a + T.R., do Santander em 7,99% a.a + T.R. e a do Bradesco em 7,30% a.a + T.R.

Segundo Plauto Nascimento, Diretor da Realiza Construtora de Uberlândia/MG, o momento é perfeito para quem compra. “O impacto da taxa reduzida de juros no mercado imobiliário, aliado à tabela antiga ainda praticada, tudo isso mexe diretamente no bolso, o ganho é real. Estamos conseguindo reaver negociações que haviam esbarrado no valor da parcela, pois não cabiam no orçamento.”

A construtora mineira possui unidades de médio e alto padrão em Uberlândia em condomínios que, além dos inúmeros itens de lazer, das localizações privilegiadas e do pós-venda diferenciado, estão apresentando um custo-benefício ainda melhor com o crédito mais atrativo. “São casas de até 4 suítes e apartamentos no centro da cidade, prontos para morar, que se enquadram nesse cenário. É aprovar o financiamento e mudar”, completa Plauto.

Fonte: g1.globo.com / Novembro 2019

quinta-feira, 7 de novembro de 2019

Boas notícias para o mercado imobiliário em 2020

12:39:00
Fonte: Freepik 

Os dados de 2014 e 2015 geraram grande insegurança para os profissionais atuantes no mercado imobiliário que assistiu a baixa procura por compra e venda de imóveis nos anos seguintes até o segundo semestre de 2017 quando o setor finalmente se reaqueceu, continuou com satisfatório crescimento em 2018 e consolidou sua retomada em 2019. Mas a que se deve esse cenário animador para investidores de todo o Brasil?

  • As pessoas estão investindo mais

Os números do primeiro trimestre deste ano como o aumento de 30% em 2018 na comercialização de imóveis em relação ao ano anterior e os 228 mil financiamentos em dezembro do mesmo já previam notícias positivas. O Sistema Brasileiro de Poupança e Empréstimo (SBPE) constatou que o brasileiro gastou R$ 57,5 bilhões na compra e construção de imóveis no ano passado, uma cifra que supera em 33% todo o montante investido em 2017.

  • As condições para compra melhoraram

Completando os indicadores de um mercado fortalecido, a Selic (Sistema Especial de Liquidação e de Custódia), a taxa básica de juros da economia no Brasil foi reduzida para 6% ano, a inflação alcançará um patamar baixo para o padrão brasileiro dos últimos anos: 3,54%. Além disso, o SFH (Sistema Financeiro da Habitação) subiu em janeiro o teto do valor de imóveis financiados para R$ 1.500.000,00, estimulando a utilização de linhas de crédito. A venda de imóveis, por sua vez, alcançou o expressivo número de 36.673 unidades vendidas entre julho de 2018 e junho de 2019, 32,2% a mais que no período entre 2017 e 2018. O levantamento do CBIC (Câmara Brasileira da Indústria da Construção) indica outro fator de crescimento para o setor – a baixa de 8,7% no estoque (apartamentos recém-construídos, em obras e na planta) devido à maior demanda que oferta de empreendimentos. Ou seja, mais imóveis foram comprados do que lançados em 2019.

  • Sudeste e centro-oeste puxam a fila

Especula-se que até o fim do ano haja um crescimento de 10 a 15% nos lançamentos em 2019 frente à quantidade de imóveis lançados em 2018 por conta de uma nova linha de crédito imobiliário cujo montante girará em torno dos R$ 10 bilhões. A boa notícia para quem quer vender um apartamento em São Paulo é que o Sudeste é quem mais puxa esses números para cima esse ano, muito por conta da estabilidade econômica de suas capitais. A região é seguida de perto pelo Centro-Oeste, onde o agronegócio responde por uma fatia grande do faturamento das empresas.

  • Investidores preferem o pagamento à vista

Mais um incentivo para quem busca liquidez rápida é que de acordo com o Conselho Regional de Corretores de Imóveis, o Creci-SP, é que entre os anos de 2017 e 2018 mais da metade das vendas de imóveis ocorreram à vista. Um dado animador para quem possui imóveis maiores de 100 a 200m², até porque a busca por esse tamanho de apartamento também aumentou esse ano.
Independente do lado do balcão que você se encontra, tenha paciência, consulte seus familiares e faça uma boa pesquisa antes de investir em um imóvel ou busque um corretor com experiência no bairro que você tem interesse. O mesmo para quem vende, cujo exercício de colocar o preço correto também passa por um complexo processo de busca. De qualquer forma, o mercado imobiliário conta hoje com empresas especializadas em pensar cada um desses detalhes para que o comprador e o proprietário perfeito se encontrem com muito mais velocidade. Boa sorte em sua procura!

Fonte: Diarinho

sexta-feira, 25 de outubro de 2019

Lançamento Loteamento Porto Poxim

12:41:00
Amanhã (26/10) será lançado o Porto Poxim, projeto com a assinatura Immobile Arquitetura em parceria com a Laredo Urbanizadora, a ser implantado no conjunto Eduardo Gomes, no Bairro Rosa Elze, na Cidade de São Cristóvão.

Loteamento Porto Poxim
Fonte: Pixel Arquitetura Digital | Laredo 

Como um dos desafios característicos do terreno, tivemos algumas discussões com a equipe de topografia e os engenheiros da terraplanagem sobre a ocupação da área.

Buscamos a melhor orientação solar para os lotes e distribuímos o empreendimento em platôs proporcionando não apenas maior conforto como também melhores soluções para acessibilidade urbana. O sistema viário foi pensando na integração total do terreno com a malha existente da região, dando ênfase a circulação de bicicletas e ônibus, criando uma hierarquia e pensando em atender a dinâmica urbana do local.

A Laredo Urbanizadora responsável pelo empreendimento, sempre preocupada em inovar e atender da melhor forma seus clientes, solicitou a nossa equipe a criação de uma grande área de convívio, vivencia e integração. Está área conceituamos como Orla verde Porto Poxim, localizada em pontos estratégicos do empreendimento concebemos para possibilitar uma integração das pessoas com a natureza e lazer. Além da área de convívio ela ofertar uma quadra de esportes, pista de bicicross, parquinho, espaço para food park, quiosque, pista de cooper e dois pontos de ônibus com abrigo para o pedestre.

Orla verde Loteamento Porto Poxim
Fonte: Pixel Arquitetura Digital | Laredo

Orla Verde Loteamento Porto Poxim
Fonte: Pixel Arquitetura Digital | Laredo

Orla verde Loteamento Porto Poxim
Fonte: Pixel Arquitetura Digital | Laredo

Orla verde Loteamento Porto PoximFonte: Pixel Arquitetura Digital | Laredo

O lançamento acontecerá amanhã dia 26/10, as 8h próximo ao terminal dia, ao lado da Jacaúna. Convidamos você para fazer uma visita e conferir esse projeto, que é fruto da parceria da Immobile com a Laredo Urbanizadora.


segunda-feira, 23 de setembro de 2019

Falta pouco para começar a Feira de Imóveis Ademi/SE 2019

06:26:00

O EVENTO

5° Feira de Imóveis Sergipe
Fonte: Ademi-SE/Divulgação 

Nos dias 26 a 29 de setembro será realizada a 5ª edição da Feira de Imóveis Ademi/SE, onde serão ofertadas cerca de 3 mil unidades para à venda, com excelentes condições de pagamento. O evento é promovido pela Associação dos Dirigentes das Empresas do Mercado Imobiliário de Sergipe (Ademi/SE) e patrocinada pela Caixa Econômica, que será o agente financeiro exclusivo nesta edição. Neste ano será novamente realizado no estacionamento do supermercado Extra. A abertura oficial acontecerá no dia 26, quinta-feira, a partir das 10h.

Será uma ótima oportunidade para as pessoas que buscam comprar o primeiro imóvel, as que desejam sair do aluguel e as que desejam investir em um negócio seguro e rentável. O visitante encontrará, em um único espaço, os produtos oferecidos pelas principais empresas do setor em Sergipe, estarão disponíveis imóveis na planta, em fase de construção e prontos para morar, tanto na Capital quanto no Interior do Estado. Nesta edição estarão presentes as construtoras AC Engenharia, Celi, Impacto, Jotanunes, Nassal, Primasa Camel, Tecnoconsult e União e as imobiliárias Century, Cohab Premium, JLC e Valor.

Para todos

As opções vão desde imóveis populares, que contam com subsídios do Programa “Minha Casa, Minha Vida”, do Governo Federal, aos de alto padrão.“São imóveis residenciais de dois ou três quartos para todos os gostos e bolsos. A maioria localizada na Grande Aracaju, que compreende Nossa Senhora do Socorro, São Cristóvão, Barra dos Coqueiros”, anuncia Henrique Côrtes, presidente da Ademi/SE.

Serão disponibilizados financiamentos com recursos do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) e também da nova linha de crédito imobiliário com atualização do saldo devedor pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), com recursos do Sistema Brasileiro de Poupança e Empréstimo (SPBE), anunciado recentemente pelo Governo Federal (este financiamento é disponibilizado apenas para unidades prontas). A Caixa terá um estande próprio, com profissionais habilitados para tirar todas as dúvidas sobre financiamentos e ajudar em simulações de parcelas e fechamento de negócios.

Henrique Côrtes destaca que as expectativas são as melhores possíveis! Para tanto, serão oferecidas excelentes oportunidades de negócios com boas vantagens para a compra, como descontos e promoções, a depender de cada empresa. Nos estandes das construtoras e das imobiliárias, as equipes de corretores estarão preparadas e a postos durante o evento, para apresentar todas as informações sobre o empreendimento que o visitante demonstrar interesse, e assim, fazer bons negócios. 

Não perca essa grande oportunidade de realizar seu sonho de adquirir o imóvel próprio ou de assegurar um excelente investimento.

Fonte do texto: Ademi-SE/Divulgação 

NOSSOS PROJETOS 📐✍

Dentre os lançamentos que serão apresentados nesta edição, 05 empreendimentos tem o projeto assinado pela Immobile Arquitetura.  Todos são localizados na grande Aracaju, que vão de produtos populares a de médio padrão. Abaixo apresentamos um pouco das características cada um deles:

MORADA DO MAR

Residencial Morada do Mar
Fonte: Equipe técnica
O Morada do mar é mais um empreendimento da Impacto Construções. Ele fica localizado na esquina da R. Napoleão Dórea com a R. Aricío Guimarães, no bairro Atalaia, na cidade Aracaju/SE. Ele é composto por 01 Torre com 16 pavimentos, sendo os 02 primeiros pavimentos destinados a garagem, serviços e lazer, os 12 pavimentos seguintes tipos com 05 unidades de 2/4 (sendo 1 suíte) por andar e os 02 últimos pavimentos com apartamentos duplex e 2/4 (sendo 1 suíte). O morada do mar se diferencia por estar próximo à praia e a grande pontos turísticos da cidade, como a orla da Atalaia, além de dispor de uma boa estrutura de lazer interna.

RESIDENCIAL DEL REY

Residencial Del Rey
Fonte: Equipe técnica
O Residencial Del Rey é o primeiro lançamento na Alameda Serigy, a nova alameda planejada e construída pela construtora Celi na cidade de Aracaju/SE. Esse empreendimento é mais um que leva a marca de qualidade Stanza. Ele é composto por 04 blocos com 08 pavimentos cada (térreo+07 pavimentos),  com 08 unidades por pavimento, que variam entre apartamentos de 2/4 e 3/4, com ou sem suíte. Possui uma ampla área de lazer que conta com alguns diferencias como, as bicicletas compartilhadas (bike stanza) que serão de uso  dos moradores e a utilização de energia solar nas áreas comuns, que proporcionará uma redução no valor do condomínio. Um dos maiores diferencias desse empreendimento é a sua localização, que proporcionará uma grande valorização a longo prazo, sendo uma ótima opção para quem deseja adquirir um imóvel para moradia/investimento.

DOCE VIDA GIRASSÓIS

Doce vida Girassóis - União
Fonte: Equipe técnica
O Doce vida Girassóis é mais um empreendimento que nasce da longa parceria da Immobile Arquitetura com construtora União. Ele fará parte do consolidado Complexo Doce Vida, uma área planejada pela União, no bairro Rosa Elze, na cidade de São Cristóvão/SE. Esse residencial é composto por 03 blocos com com 08 pavimentos cada (térreo+07 pavimentos),  sendo 02 blocos com 08 unidades por pavimento e 01 bloco com 06 unidades por pavimento, que variam entre apartamentos de 2/4 e 3/4, com ou sem varanda. A localização em um local com infraestrutura e pontos de comércios próximos é um dos grandes destaques deste empreendimento, além do grande potencial de valorização.

MORADA FELIZ

Morada Feliz - União
Fonte: Equipe técnica
O Morada Feliz é mais um empreendimento com a marca da construtora União. Ele fica localizado no bairro Marivan, o mais novo bairro da cidade de Aracaju/SE. Ele é composto por 19 blocos com com 04 pavimentos cada (térreo+03 pavimentos), com 04 unidades por pavimento, sendo apartamentos de 2/4. A localização em uma área em expansão, e em um local com infraestrutura e pontos de comércios próximos é um dos grandes destaques deste empreendimento, além de proporcionar um grande potencial de valorização.

RIO BARRA MAIS VIVER

Rio Barra Mais Viver - Jotanunes
Fonte: Equipe técnica

O Rio Barra Mais viver é um empreendimento com a marca da construtora Jotanunes, Trata-se de um condomínio fechado com uma ampla área de lazer. Ele fica localizado no bairro Andorinhas, na cidade da Barras dos coqueiros/SE. Ele é composto por 62 sobrados com com 02 pavimentos cada, com 04 unidades por pavimento totalizando 496 unidades, sendo apartamentos de 2/4 com varanda.

Nosso Agradecimento 🎉 

Agradecemos a todos os nossos clientes pela confiança e parceria, e desejamos que todos os lançamentos sejam sucessos de vendas. Convidamos todos a visitarem a 5ª edição da Feira de Imóveis Ademi/SE, que será realizadas entre os dia 26 a 29 de setembro das 10hs as 22hs, no estacionamento do Extra.

Acompanhe todo o processo as redes sociais da Ademi Sergipe 👉Resultado de imagem para facebook icon e nas nossas Também 😉


sexta-feira, 29 de março de 2019

Primeiro Aberto de Arquitetura e a nossa participação

10:44:00

O CONCURSO

A Weefor é uma incorporadora com pouco tempo de atuação no mercado imobiliário, que surgiu com base na vontade de transformar a realidade do mercado imobiliário, inspirada nos novos padrões que estão surgindo na sociedade, dando forma a novos jeitos de viver. 

"Nossa missão é desenvolver projetos que atendam as reais necessidades das pessoas e transformem as cidades em que vivemos" (weefor.arq

E como forma de proporcionar essa mudança, ela está lançando o 1° aberto de arquitetura que selecionará e contratará um projeto arquitetônico para o seu primeiro empreendimento residencial no bairro Água Verde na cidade de Curitiba/PR. Trata-se de um concurso que será feito em uma unica etapa, que selecionará as 03 melhores propostas apresentadas, sendo que a vencedora terá o responsável contratado pela incorporadora para o desenvolvimento do projeto legal, conforme especificado no edital.

"O objetivo do concurso é apoiar a Arquitetura como disciplina fundamental para o desenvolvimento social e privado. Buscamos pensar junto com aquelas mentes que colocam o seu talento à disposição das pessoas, e não à disposição do mercado.
Queremos arquitetos dispostos a usar a sua força de ação e todo o seu conhecimento técnico em prol de algo maior e melhor, que integra pessoas, histórias e cria novas conexões com as cidades. Buscamos trabalhar ao lado daqueles que irão arquitetar a vanguarda, oferecendo novas experiências que se distanciam da realidade repleta de velhos padrões" (ArchDaily Brasil)

O objeto do concurso foi a apresentação, por parte dos inscritos, de um anteprojeto de arquitetura para um edifício residencial (habitação coletiva), com área de aproximadamente 5.250,00 m², em um terreno de 1.383,60 m². A proposta deveriam obedecer e ter como base as instruções do edital, do termo de referência e dos demais arquivos bases do concurso.

NOSSA PARTICIPAÇÃO 😎


Nós da Immobile Arquitetura escolhemos participar deste concurso, para demostrar como é possível conceber um produto imobiliário que seja envolvente, relacionando às necessidades dos futuros moradores, que tenha ligação direta com a rua e com a comunidade local e que seja viável economicamente. Buscamos reproduzir as discussões inerentes a esta relação espaço e pessoas, mercado e convivência, produto imobiliário e cidades levantando questões quanto a reflexão sobre como empreendimentos imobiliários devem trazer em seu nascedouro conceitos além dos custos, envolvendo a cidade, seu bem-estar, sua vizinhança e sua inserção à malha urbana.

Fachada Frontal, Rua Pará


Fonte: Equipe técnica

Fachada Frontal, Rua Mato Grosso



Fonte: Equipe técnica


Em nossa proposta abordamos a arquitetura pensada, que é uma das nossas bases de projeto, e diante de alguns pontos de discussões, desenvolvemos o estudo conceituando com mais duas linhas de atuação. A primeira seria a importância da relação do edifício para com a rua, permitindo que através dos “olhos da rua” de Jane Jacob, alcançássemos maior vigilância natural do próprio empreendimento. E a segunda, mas não menos importante, seriam os desenhos de interação através dos conceitos de “Pocket Park”, que trazem um novo olhar sobre os espaços livres, com a criação de espaços compactos com uso de elementos vegetais, sombreamento, mobiliários e acessibilidade. Conseguimos desenvolver um produto imobiliário com novas conceituações urbanas, seguindo as prerrogativas apresentadas pela WEEFOR.

Buscamos envolver o produto de tal forma que o passeio envolve nossas áreas de vivência, permitindo uma maior relação entre os futuros moradores, transeuntes e vizinhos, criando uma relação saudável entre o espaço público e privado, permitindo maior comunicação, interação e segurança entre as pessoas.

Fonte: Equipe técnica

Playground "Pocket Park", Rua Pará

Fonte: Equipe técnica

Entrada principal, Rua Pará

Fonte: Equipe técnica

Academia ao ar live "Pocket Park", Rua Pará

Fonte: Equipe técnica

Juntamente com as discussões conceituais levantamos inúmeros pontos quanto a morfologia do edifício, dos aspectos físicos do terreno, do entorno e especialmente da pesquisa desenvolvida. Partimos para entender cada premissa destacando aqueles itens que nos trariam ao desenvolvimento do partido, aliando conceitos e interações práticas e legais. A localização do terreno em uma esquina nos permitiu maior comunicação com o meio urbano, maior interação com a composição de duas fachadas principais e com a própria relação viária dos nossos acessos para com as vias. A premissa pela quantidade de unidades e suas tipologias nos desafiaram no desenvolvimento da lâmina, onde incansavelmente buscamos a relação custo beneficio com norte para a viabilidade do projeto. Não seria possível conceituar um novo projeto, inovador, diferenciado em suas interações urbanas, mas que não fosse comercialmente viável.

As ideias não saíram do papel apenas para atender as demandas apresentadas com tipologia, números de unidades, quantidade de pavimentos, e restrições legais, como também incorporaram a nova busca no desenvolvimento de produtos imobiliários restritos ao mercado, mas livres para comunicar com seu público consumidor e com a cidade. O projeto arquitetônico deixando de ser produto do meio para fazer parte desse meio. Diante das premissas o estudo segue a composição de apenas uma única torre com 08 pavimentos, sendo subsolo, pavimento térreo, 1º pavimento com apartamentos (06 unidades) e áreas comuns de lazer, 03 pavimentos tipo I e 03 pavimentos tipo II, totalizando 51 unidades.

Votação Publica 

O 1° aberto de arquitetura traz como diferencias, a escolha da melhor proposta por voto popular, ou seja, terá uma premiação para o projeto que for mais votado. Essa escolha poderá ser feita na pagina da Weefor na internet, onde estarão publicadas as propostas para votação. Qualquer pessoa poderá escolher o projeto e votar.

A votação está aberta até o dia 12 de abril de 2019. Os projetos foram identificados por numero de inscrição, o nosso foi o 136, confira e se gostar dê uma força, nos dando seu voto! 😃

Portanto convidamos você para conhecer melhor nossa proposta 😉. São 03 pranchas que apresentam o projeto de forma técnica e conceitual, abordando as soluções propostas e os matérias utilizados.


  Acompanhe todo o processo no instagram 👉


Sobre a

IMMOBILEArquitetura

Ela foi idealizada em 2008 pelo arquiteto e urbanista Expedito Junior, com o objetivo de criar e implementar projetos de alta performance e profundidade técnica, executados para atingir os melhores índices de rentabilidade de acordo com a individualidade de cada empreendimento e negócio. Constituída por uma equipe de profissionais que possuem diferentes visões de mercado, procuramos manter um relacionamento estreito com os investidores, construtores e principalmente possibilitando a maior eficiência e agilidade nos processos de criação, regularização e entrega.




Assine a nossa newsletter para receber as últimas notícias do blog diretamente em seu E-mail. Fique tranquilo, também não gostamos de SPAM

Você também pode gostar