quinta-feira, 14 de novembro de 2019

O impacto da taxa reduzida de juros no mercado imobiliário

05:53:00
 
Fonte: freepik.com

Linhas de crédito com encargos mais baixos e parcelas mensais cerca de 30% menores, atraem os consumidores e aquecem a venda de imóveis.

Com o menor índice desde o início da série do Banco Central, a Selic hoje em 5,5% impulsiona o crédito imobiliário. Isso porque quanto mais o governo reduz a taxa básica de juros, mais os bancos, públicos ou privados, diminuem suas taxas de financiamento de imóveis. Afinal, estão de olho nesse consumidor que, confiante na atual economia do país, vê agora uma grande oportunidade de morar no que é seu.

Gilberto Filho, presidente da Abecip (Associação Brasileira das Entidades de Crédito Imobiliário e Poupança), acredita que as condições atuais de financiamento imobiliário no país são as melhores da história e que, por isso, a tomada de crédito junto às instituições financeiras não para de crescer. E acrescenta a liberação de parte do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS) e a inflação controlada, como fatores que estimulam o consumo e promovem um otimismo maior no setor.

O fato é que diante de tudo isso, o consumidor se vê atraído e motivado a conquistar o seu imóvel próprio. Afinal, com a taxa reduzida, pode chegar a pagar parcelas cerca de 30% menores que há alguns meses atrás.

Líder no mercado de financiamento imobiliário com 69% de participação, a Caixa Econômica Federal (CEF) anunciou novas linhas de crédito. O gráfico a seguir exemplifica uma simulação feita com dois imóveis, de R$ 650 mil e R$ 350 mil, mostrando uma redução de até 32% na prestação mensal.


Fonte: g1.globo.com
 
Com a oferta de crédito, o ideal é o consumidor analisar as linhas e condições oferecidas em cada instituição financeira, para se decidir pela melhor opção, de acordo com o seu perfil, tempo de financiamento e relacionamento com o banco. Atualmente, a taxa mínima estimada oferecida pelo Itaú está em 7,45% a.a + T.R., do Santander em 7,99% a.a + T.R. e a do Bradesco em 7,30% a.a + T.R.

Segundo Plauto Nascimento, Diretor da Realiza Construtora de Uberlândia/MG, o momento é perfeito para quem compra. “O impacto da taxa reduzida de juros no mercado imobiliário, aliado à tabela antiga ainda praticada, tudo isso mexe diretamente no bolso, o ganho é real. Estamos conseguindo reaver negociações que haviam esbarrado no valor da parcela, pois não cabiam no orçamento.”

A construtora mineira possui unidades de médio e alto padrão em Uberlândia em condomínios que, além dos inúmeros itens de lazer, das localizações privilegiadas e do pós-venda diferenciado, estão apresentando um custo-benefício ainda melhor com o crédito mais atrativo. “São casas de até 4 suítes e apartamentos no centro da cidade, prontos para morar, que se enquadram nesse cenário. É aprovar o financiamento e mudar”, completa Plauto.

Fonte: g1.globo.com / Novembro 2019

quinta-feira, 7 de novembro de 2019

Boas notícias para o mercado imobiliário em 2020

12:39:00

Os dados de 2014 e 2015 geraram grande insegurança para os profissionais atuantes no mercado imobiliário que assistiu a baixa procura por compra e venda de imóveis nos anos seguintes até o segundo semestre de 2017 quando o setor finalmente se reaqueceu, continuou com satisfatório crescimento em 2018 e consolidou sua retomada em 2019. Mas a que se deve esse cenário animador para investidores de todo o Brasil?

  • As pessoas estão investindo mais
Os números do primeiro trimestre deste ano como o aumento de 30% em 2018 na comercialização de imóveis em relação ao ano anterior e os 228 mil financiamentos em dezembro do mesmo já previam notícias positivas. O Sistema Brasileiro de Poupança e Empréstimo (SBPE) constatou que o brasileiro gastou R$ 57,5 bilhões na compra e construção de imóveis no ano passado, uma cifra que supera em 33% todo o montante investido em 2017.

  • As condições para compra melhoraram
Completando os indicadores de um mercado fortalecido, a Selic (Sistema Especial de Liquidação e de Custódia), a taxa básica de juros da economia no Brasil foi reduzida para 6% ano, a inflação alcançará um patamar baixo para o padrão brasileiro dos últimos anos: 3,54%. Além disso, o SFH (Sistema Financeiro da Habitação) subiu em janeiro o teto do valor de imóveis financiados para R$ 1.500.000,00, estimulando a utilização de linhas de crédito. A venda de imóveis, por sua vez, alcançou o expressivo número de 36.673 unidades vendidas entre julho de 2018 e junho de 2019, 32,2% a mais que no período entre 2017 e 2018. O levantamento do CBIC (Câmara Brasileira da Indústria da Construção) indica outro fator de crescimento para o setor – a baixa de 8,7% no estoque (apartamentos recém-construídos, em obras e na planta) devido à maior demanda que oferta de empreendimentos. Ou seja, mais imóveis foram comprados do que lançados em 2019.

  • Sudeste e centro-oeste puxam a fila
Especula-se que até o fim do ano haja um crescimento de 10 a 15% nos lançamentos em 2019 frente à quantidade de imóveis lançados em 2018 por conta de uma nova linha de crédito imobiliário cujo montante girará em torno dos R$ 10 bilhões. A boa notícia para quem quer vender um apartamento em São Paulo é que o Sudeste é quem mais puxa esses números para cima esse ano, muito por conta da estabilidade econômica de suas capitais. A região é seguida de perto pelo Centro-Oeste, onde o agronegócio responde por uma fatia grande do faturamento das empresas.

  • Investidores preferem o pagamento à vista
Mais um incentivo para quem busca liquidez rápida é que de acordo com o Conselho Regional de Corretores de Imóveis, o Creci-SP, é que entre os anos de 2017 e 2018 mais da metade das vendas de imóveis ocorreram à vista. Um dado animador para quem possui imóveis maiores de 100 a 200m², até porque a busca por esse tamanho de apartamento também aumentou esse ano.

Independente do lado do balcão que você se encontra, tenha paciência, consulte seus familiares e faça uma boa pesquisa antes de investir em um imóvel ou busque um corretor com experiência no bairro que você tem interesse. O mesmo para quem vende, cujo exercício de colocar o preço correto também passa por um complexo processo de busca. De qualquer forma, o mercado imobiliário conta hoje com empresas especializadas em pensar cada um desses detalhes para que o comprador e o proprietário perfeito se encontrem com muito mais velocidade. Boa sorte em sua procura!

Sobre a

IMMOBILEArquitetura

Ela foi idealizada em 2008 pelo arquiteto e urbanista Expedito Junior, com o objetivo de criar e implementar projetos de alta performance e profundidade técnica, executados para atingir os melhores índices de rentabilidade de acordo com a individualidade de cada empreendimento e negócio. Constituída por uma equipe de profissionais que possuem diferentes visões de mercado, procuramos manter um relacionamento estreito com os investidores, construtores e principalmente possibilitando a maior eficiência e agilidade nos processos de criação, regularização e entrega.




Assine a nossa newsletter para receber as últimas notícias do blog diretamente em seu E-mail. Fique tranquilo, também não gostamos de SPAM

Você também pode gostar