[Arquitetura][carousel][5]

segunda-feira, 6 de julho de 2020

Isolamento Social muda exigências de quem compra ou aluga casa e apartamento.

04:22:00
Com a temporada forçada em casa, o comportamento mudou tanto nas compras quanto nos aluguéis. As imobiliárias estão percebendo novas demandas, e construtoras já começam a fazer projetos baseados na nova realidade criada pela pandemia do coronavírus.

Uma pesquisa da Loft, startup que compra, reforma e vende imóveis, mostrou que 45% dos clientes acreditam que o período de isolamento social desperta o interesse por apartamentos maiores. E 70% desejam uma área reservada para o trabalho remoto.


Fonte: Freepik

Mudou a maneira que as pessoas estão se relacionando com suas casas. A pesquisa mostrou também que as pessoas estão usando mais a cozinha (46%), superando o uso de serviços de entrega (22%) — salienta João Vianna, co-fundador da Loft.

Na Apsa, tal movimento começou a ser sentido há poucas semanas. De acordo com Giovani Oliveira, gerente geral de imóveis da empresa, os clientes antes buscavam um imóvel pequeno para compra, mas não abriam mão de áreas comuns de lazer cheias de atrativos. Com a pandemia, esse perfil mudou: agora, o objeto de desejo é um apartamento com cômodos maiores, e os espaços de uso partilhado deixaram de ser uma prioridade.
Depois de três meses de isolamento, está havendo a valorização de plantas maiores e que tenham espaço para home office. As pessoas se deram conta de que não podem mais contar com as áreas comuns como extensões dos seus apartamentos. — analisa Oliveira.

Já Marcel Galper, gerente de Vendas da Precisão Vendas, vem observando um crescimento na procura por imóveis com boas áreas comuns (como salas de estar e TV), em função de as famílias ficarem reunidas por mais tempo dentro de casa.
Tenho notado também uma procura maior por apartamentos de cobertura que tenham áreas livres.

No segmento de Minha Casa Minha vida, o coronavírus já está modificando projetos. No empreendimento Vitale Eco, da construtora Vitale, o número de unidades foi reduzido: de 444 para 406. E 90% dos equipamentos de lazer serão ao ar livre.


Fonte: Incorporação Imobiliária - Mercado Imobiliário / Junho 2020

quinta-feira, 2 de julho de 2020

As tendências para o mercado imobiliário no futuro Pós-COVID

04:41:00
A transformação digital acelerada pela pandemia de coronavírus deve criar novas oportunidades para o setor de imóveis, impulsionando o surgimento de novas proptechs, as startups do mercado imobiliário. De acordo Hernan Kazah, cofundador da Kaszek Ventures, fundo de venture capital argentino, será cada vez mais comum o uso da internet para realizar vendas, alcançar clientes e facilitar transações. “Com a flexibilização do home office, a tendência é que a tecnologia torne tudo mais eficiente. Muitas pessoas vão optar por não usar um carro próprio e utilizar aplicativos de transporte ou viagens compartilhadas.” 


Kazah falou durante uma conferência anual realizada BayBrazil, instituição dedicada a conectar ecossistemas de profissionais e negócios do Brasil e do Vale do Silício. O evento online também contou com Mate Pencz, fundador da Loft; Jonathan McNulty, CEO da startup americana de financiamento imobiliário Haus; e Brian Requarth, cofundador do VivaReal e chairman do Grupo ZAP.

Segundo Kazah, o mercado de investimentos imobiliários também deve passar por disrupções. “Nós nunca investimos em empresas do setor apenas com base em projeções de cenários para o futuro, mas sabemos que existirão muitas oportunidades depois da pandemia, seja para hotéis, edifícios e outros tipos de moradia”, afirma o executivo. “A tendência é que as empresas aumentem cada vez mais sua presença online e a tecnologia será fundamental nesse processo.”

Para os executivos, o trabalho remoto imposto pelo isolamento social também deve impactar o setor. Segundo Brian Requarth, do VivaReal, a escolha por moradias mais distantes dos centros urbanos será uma tendência crescente no futuro pós-covid. “Nas últimas décadas, vimos uma grande transição de pessoas migrando para as grandes cidades. “Eu acredito que esse será o começo de uma nova era, com muitas pessoas voltando para o interior.”

Mate Pencz, da Loft, destacou o acesso à educação e saúde de qualidade como um desafio para que essa tendência cresça no Brasil. “Com a pandemia, as pessoas passaram a valorizar mais os espaços onde que vivem, mas isso não será suficiente para que elas deixem os grandes centros”, pontua Pencz.

quarta-feira, 1 de julho de 2020

Oportunidades de negócio em meio à crise.

04:25:00
A pandemia do novo coronavírus (Covid-19) atingiu todas as camadas da população mundial, principalmente quando o assunto é a economia. O desemprego relacionado ao fechamento do comércio e de alguns setores da indústria é um dos pontos mais temidos desse distanciamento social, sugerido pelos governos de vários países e recomendado pela a Organização Mundial de Saúde (OMS). Mas é nesse cenário que investidores e especialistas do mercado imobiliário apontam: a mesma crise que coloca uma tensão no comércio, pode trazer para você a chance de fazer um bom negócio.


Fonte: Freepik

“Se você tem um capital ou uma liquidez que seria investido no mercado financeiro, essa pode ser uma boa oportunidade de comprar um imóvel”, conta Jamil Nassif, diretor de negócios da urbanizadora Setpar.

Em tempos de volatilidade econômica, muitos investidores que acreditaram na alta da bolsa de valores, no final de 2019, tiveram parte de seus patrimônios reduzidos em até 51% com a chegada do novo coronavírus. Isso porque, dentro de 8 dias, houve seis circuit breakers na bolsa de valores brasileira, ou seja, a interrupção total dos trabalhos da bolsa. Isso só acontece quando o Ibovespa cai mais do que 10% no dia.

Por outro lado, a queda dos juros está a favor de quem procura investir em um imóvel, por exemplo. Com os cortes sucessivos na taxa Selic, podendo atingir um novo mínimo histórico de 3% ainda esse semestre, o cenário mudou e direciona investidores a procurarem os imóveis como uma maneira rentável e segura de aplicar o seu dinheiro. Especialistas apontam que quem compra um terreno em um empreendimento em construção, garante uma valorização de até 40% quando é autorizada a construção no terreno.

“Quem investe em um terreno nessas condições de mercado terá a melhor garantia da preservação do seu capital e um grande retorno em um tempo relativamente razoável, diferente de aplicar em uma renda fixa que está desvalorizada ou até mesmo no mercado de ações, que se encontra no seu mais alto nível de instabilidade”, explica Nassif.

E não precisa ter o dinheiro total do imóvel para se tornar um investidor, você pode conquistar esse espaço mesmo usando a condição de pagamentos fixos ou parcelamento facilitado. Para Angelo Kelm, diretor de marketing da urbanizadora Setpar, quem for investir precisa encontrar, antes de tudo, uma empresa que garanta a entrega do imóvel e que conceda uma facilidade nas negociações.

“Conhecer o produto que vai investir e o histórico da empresa é fundamental. O imóvel é tradicionalmente um investimento seguro e com essas condições de mercado por conta da pandemia do novo coronavírus, escolher uma empresa sólida, com garantia de entrega, faz toda a diferença para seu investimento”, aponta Kelm.

Empresas e financiadoras da construção civil do país estão trabalhando para manter o mercado imobiliário ativo, criando estratégias para quem deseja sair do aluguel e/ou investir em um imóvel.

Fonte: G1 Globo / Junho 2020

Sobre a

IMMOBILEArquitetura

Ela foi idealizada em 2008 pelo arquiteto e urbanista Expedito Junior, com o objetivo de criar e implementar projetos de alta performance e profundidade técnica, executados para atingir os melhores índices de rentabilidade de acordo com a individualidade de cada empreendimento e negócio. Constituída por uma equipe de profissionais que possuem diferentes visões de mercado, procuramos manter um relacionamento estreito com os investidores, construtores e principalmente possibilitando a maior eficiência e agilidade nos processos de criação, regularização e entrega.




Assine a nossa newsletter para receber as últimas notícias do blog diretamente em seu E-mail. Fique tranquilo, também não gostamos de SPAM

Você também pode gostar