[Arquitetura][carousel][5]

quarta-feira, 25 de novembro de 2020

Por que pensar no seu imóvel deve ser uma prioridade?

04:58:00

Quando falamos de investimento, muitas pessoas têm como principal objetivo colocar o seu dinheiro em um imóvel, apesar de existir uma grande variedade de aplicações financeiras disponíveis no mercado. Mas, tendo a possibilidade de escolher investir entre diversas empresas, produtos, iniciativas e negócios diferentes, por que pensar em um imóvel deve ser uma prioridade?

O fato é que investir em um imóvel oferece muitas vantagens para o investidor, é uma prática recomendada mesmo para quem tem interesse em aplicar o seu dinheiro em investimentos diferentes. No entanto, pelas próprias características deste tipo de negócio, pode ser interessante você priorizar o investimento na área imobiliária para ser capaz de aproveitar ao máximo os benefícios deste tipo de negócio. 

 

O imóvel é uma ótima maneira de proteger o seu patrimônio
Uma das maiores vantagens que o imóvel oferece para o investidor é a segurança do capital aplicado. Enquanto ações, fundos e cotas podem desvalorizar de acordo com as oscilações do mercado, o nicho imobiliário é uma das áreas de maior estabilidade e constância. Isso acontece porque o imóvel é considerado um item de primeira necessidade afinal, as pessoas sempre precisam de um ambiente físico para habitar ou montar um negócio -, além de sempre manter o valor do espaço que ocupam na cidade e dos materiais que o constituem.
Assim, investir na área imobiliária é uma ótima maneira de aplicar o seu dinheiro em um negócio que tem pouca margem de desvalorização, bom potencial de valorização, e grande solidez. O imóvel se mantém um bom negócio mesmo em momentos de crise financeira, evitando grandes perdas com a quebra de empresas, e protege seu patrimônio até mesmo da inflação, pois o valor do mercado imobiliário tende a se manter estável. 

 

Ter um imóvel pode ser uma boa garantia de fonte de renda extra
Ao contrário de outros tipos de investimento, em que o dinheiro aplicado fica restringido até o momento do seu resgate, um imóvel oferece outra grande vantagem ao investidor: a possibilidade de gerar renda mensal através do aluguel. Com isso, você pode escolher entre guardar este dinheiro como o retorno da aplicação, ou dar nova utilidade a ele aplicando em outros investimentos de sua escolha. Assim, a locação gera uma oportunidade bem interessante de gerir os seus recursos.
Se em algum momento o imóvel deixar de ser um investimento interessante para os seus negócios, basta vendê-lo. Como as propriedades imobiliárias mantêm um valor bastante estável ao longo dos anos, não será difícil conseguir um preço justo pelo imóvel e você ainda sai com o aluguel de todos os anos em que foi proprietário como lucro.


É um bom investimento para diversificação da carteira
Por oferecer grande estabilidade e solidez, o imóvel é um investimento muito recomendado como boa alternativa de diversificação da carteira. Mesmo para investidores mais agressivos, que gostam de investir na área de ações e correr riscos maiores em troca de um bom potencial de retorno, é indicado utilizar o mercado imobiliário como um contrapeso que equilibra os riscos com um negócio de alta segurança. Assim, é um investimento confortável para abrir o leque de possibilidades de futuros investimentos enquanto aloca seu capital em um negócio com bom retorno financeiro, multiplicando seu patrimônio com a passagem do tempo. 


O investimento no mercado imobiliário oferece muitos benefícios no longo prazo
Por fim, é uma boa estratégia priorizar o investimento em um imóvel porque o mercado imobiliário oferece muitas vantagens para quem investe pensando no longo prazo especialmente quando estamos falando de locação. Como o valor do imóvel se mantém, o lucro recebido pelo proprietário aumenta a cada novo recebimento, ou seja, a cada aluguel que entra mensalmente.
Isso não apenas é uma ótima maneira de organizar seus investimentos para ir atrás de outros tipos de aplicação financeira. Por ser um negócio que tem potencial de retorno por prazo indefinido, é um bom investimento para quem quer ter uma garantia de renda para a sua família, por exemplo, ou deixar de herança para os filhos.

Confira nosso site para acessar os artigos postados no blog e para conhecer nossos projetos de casas, condomínios entre outros. Venha desenvolver seu projeto com a gente, esperamos você! https://www.immobile.arq.br/

 

Fonte: Vitacon  | Novembro 2020

terça-feira, 3 de novembro de 2020

Hotel Parque das Palmeiras – Aspectos do seu sistema estrutural

10:35:00
A seguir, reportagem divulgada pelo escritório de estruturas metálicas Almeida Oliveira, apresentando o desenvolvimento dos projetos usando a ferramenta Tekla. Para a Immobile, é muito gratificante ter participação neste empreendimento com o projeto de arquitetura.

A evolução da indústria da construção não está restrita às capitais e avança a passos largos para o interior. Processos de projetos baseados em documentos em papel e construções convencionais estão dando lugar, aos poucos, a métodos mais inteligentes, mais integrados e com baixíssima geração de resíduos.

É o caso do Hotel Parque das Palmeiras, empreendimento localizado na cidade de Lagarto, a 75 km da capital sergipana, Aracaju, sendo sinônimo de desenvolvimento e industrialização do processo construtivo na interiorização dos estados brasileiros.
O Hotel Parque das Palmeiras é parte de uma marca líder no cenário nacional no manejo e criação de tropas equestres Quarto de Milha, o Haras Fábio José. O Haras Fábio José conta com o espaço de eventos FJ Ringo Multieventos, centro de fomento de grandes negócios ligados ao segmento pecuário. Em sua estreia, no ano de 2018, o espaço FJ Ringo Multieventos foi palco do primeiro Leilão Haras Fábio José, com transmissão em tv aberta pelo Canal Rural. O Haras Fábio José conta ainda com o espaço Parque das Palmeiras, um dos maiores e mais modernos complexos de esportes equestres do Brasil.

Empreendimento diversificado
O Hotel Parque das Palmeiras dispõe de 11 pavimentos para o serviço de hotelaria e apartamentos variados com o objetivo de melhor atender os diversos públicos. Cada pavimento destinado ao serviço de hotelaria possui uma área total construída de 465 m². Há, além disso, espaço completo destinado ao lazer (restaurante, academia e piscina) e para realização de eventos e negócios (auditório, sala de reuniões e espaço para lojas). Ao todo, o hotel possui uma área total construída de 5950 m² e altura total de 45 m. Desde o princípio da elaboração do projeto arquitetônico, foi idealizada a utilização de estruturas metálicas de aço como elemento estrutural.

Estruturas mistas de aço e concreto
A Almeida & Oliveira Engenharia de Estruturas Metálicas desenvolveu o cálculo estrutural, o projeto de armaduras complementares de laje steel deck e os projetos executivos necessários para elaboração dos projetos de fabricação e montagem. 
 
A estrutura principal do edifício foi concebida por pilares metálicos em perfis laminados e soldados de seção I, vigas mistas de aço e concreto em perfis laminados e soldados de seção I e lajes mista de aço e concreto (steel deck). Foram utilizados aço ASTM A572 Gr.50 para perfis laminados e aço CIVIL 350 para perfis soldados, totalizando um consumo de 416 toneladas de perfil metálico. Para o desenvolvimento do projeto executivo fez-se uso do Tekla Structures como ferramenta ágil de modelagem 3D.

Modelagem detalhada
O Tekla Structures possibilitou a modelagem de inúmeros detalhes, como: escadas metálicas, elementos da fachada do edifício, desenvolvidos também em perfil tubular de aço, conexões metálicas, as quais, em sua totalidade foram parafusadas, quantidade e distribuição dos conectores de cisalhamento, lançamento das folhas e dos arremates da laje mista steel deck, lançamento das armaduras complementares (reforço, continuidade e incêndio) da laje mista steel deck e compatibilização com as armaduras dos elementos de concreto armado (piscina e reservatório elevados). Com modelagem 3D, idealizada no Tekla Structures, da estrutura principal e de todos os elementos complementares, foram desenvolvidos projetos 2D capazes de expressar de maneira clara e simplificada de todos os detalhes necessário para desenvolvimento do projeto de fabricação e montagem, explica Ricardo Almeida, Sócio Diretor da Almeida & Oliveira Engenharia de Estruturas Metálicas (https://www.almeidaoliveira.eng.br/). 


Fonte: TEKLA | Outubro 2020

quinta-feira, 29 de outubro de 2020

Por que o setor imobiliário acelerou na pandemia

06:16:00
A Immobile Arquitetura tem acompanhado o desenvolvimento do mercado imobiliário. Diante de inúmeras notícias apresentamos alguns números que segue superando os anos anteriores, mesmo em meio a pandemia, através da ABRAINC - Associação Brasileira das Incorporadoras Imobiliárias que fez suas considerações sobre o tema:
 
Por que o setor imobiliário acelerou na pandemia
A economia brasileira passava por um período de recuperação lenta, sem superar plenamente a recessão de 2014 a 2016, quando foi atingida pelos efeitos da pandemia do novo coronavírus. O PIB (Produto Interno Bruto) do segundo semestre de 2020 registrou o pior resultado de sua série histórica.
 
O setor imobiliário brasileiro que já havia sido atingido pela recessão anterior, porém, dá sinais mistos diante do novo abalo. Por mais que não tenha escapado do tombo nos primeiros momentos, apresenta uma recuperação acelerada, até superando números de anos anteriores.

 

Os lançamentos em baixa
Os efeitos da pandemia apareceram principalmente nos números dos lançamentos de unidades. De acordo com dados da Abrainc (Associação Brasileira de Incorporadoras Imobiliárias) e da Fipe (Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas), os novos lançamentos recuaram 21,2% no primeiro semestre de 2020 na comparação com o mesmo período do ano anterior.

No mês de maio, por exemplo, foram lançados apenas 1.703 novos imóveis, o pior mês desde abril de 2016, quando o país estava em recessão.

Os dados dos lançamentos de imóveis vão na mesma direção dos números revelados pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) sobre a construção no Brasil. O setor construtor registrou queda de 5,7% entre abril e junho, na comparação com os primeiros três meses do ano.
Nível de vendas em 2020 é o mais alto desde 2014, seguindo tendência de alta desde 2018. Lançamentos caíram em relação a 2019

Os juros baixos no Brasil
A aceleração das vendas de imóveis em um momento de pandemia e grave crise econômica parece ser algo contraintuitivo. Mas o movimento está ligado aos patamares baixos dos juros brasileiros em 2020.

A taxa Selic é a taxa básica de juros da economia brasileira. Ela serve de referência para a definição dos juros cobrados pelos bancos em empréstimos, o retorno de títulos do Tesouro e até o rendimento da caderneta de poupança.

Em setembro de 2020, a taxa Selic está em 2% ao ano – mesmo patamar desde o início de agosto. É o menor patamar desde 1999, quando o Banco Central adotou o regime de metas de inflação. Por servir de referência para o restante da economia, a Selic também impacta os juros e o crédito no setor imobiliário.

Com a taxa de juros em baixa, fica mais barato tomar um empréstimo no banco para comprar uma casa. Pagar os juros de um financiamento de imóvel pode ter se tornado mais vantajoso do que pagar o aluguel a cada mês. Ao mesmo tempo, a construtora também consegue crédito a uma taxa mais baixa para financiar um novo empreendimento imobiliário.

O crédito imobiliário em 2020
O crédito imobiliário de fato respondeu à queda histórica dos juros no Brasil. Em 2020, não apenas o crédito teve recuperação rápida após o choque inicial da pandemia, como ultrapassa o nível de anos anteriores.

O número de imóveis que obtiveram financiamento – seja para compra ou construção – caiu 15,2% entre janeiro e abril, mas voltou a crescer depois disso, como mostram os dados da Abecip (Associação Brasileira das Entidades de Crédito Imobiliário e Poupança). O ritmo de crescimento foi acelerado, e em julho, mas de 36.800 unidades foram financiadas. Foi o melhor mês desde abril de 2015.

RECUPERAÇÃO RÁPIDA 


As vendas em alta
Apesar de os números de lançamentos imobiliários estarem em baixa, as vendas de imóveis vão no sentido contrário. Segundo a Abrainc e a Fipe, as vendas no primeiro semestre de 2020 foram as maiores para o período desde 2014 – período em que o Brasil começava a entrar em recessão.

Foram mais de 61.600 imóveis vendidos entre janeiro e junho, o que representa um crescimento de 10,6% em relação aos primeiros seis meses de 2019. O mês de maio foi o melhor desde março de 2015, com 12.707 imóveis vendidos.

LANÇAMENTOS E VENDAS
 
O dinheiro movimentado em crédito imobiliário também cresceu. Os valores para os primeiros sete meses do ano são os maiores desde 2014.

MAIOR DESDE 2014

O crédito imobiliário acelerou a partir de maio. O mês de julho foi o primeiro em que o crédito do setor ultrapassou R$ 10 bilhões no Brasil desde julho de 2014. Na série da Abecip, iniciada em 2002, o único mês em que mais dinheiro foi movimentado foi junho de 2013, alguns meses antes da recessão que atingiu o país.

Mesmo com a alta do crédito, os preços de imóveis seguem crescendo a ritmo baixo. De acordo com índice medido pela Fipe em parceria com o portal Zap, os preços acumulam alta real (descontada a inflação) de 1,11% nos primeiros oito meses de 2020. No acumulado de 12 meses, no entanto, a variação real dos preços equivale a um recuo de 0,92%.

Outros movimentos na demanda
Além da alta do crédito imobiliário, os juros baixos também ajudam a impulsionar o mercado imobiliário de outra forma. Com a Selic em baixa, os investimentos de renda fixa cujos rendimentos estão atrelados à taxa básica de juros da economia estão cada vez menos atrativos.

Uma das alternativas para conseguir rendimentos é a compra de imóveis para cobrar aluguel. Assim, para quem tem dinheiro guardado ou que tem bom acesso ao crédito imobiliário, os imóveis tornam-se uma opção de investimento mais rentável frente à renda fixa na pandemia.

Outro movimento observado é o aumento da procura por imóveis longe das grandes cidades. Com muitas pessoas ficando em casa durante a pandemia, cai a necessidade de morar perto do trabalho. Esse movimento está ligado principalmente à parcela da população com alta renda, que busca maior conforto e espaço em imóveis de alto padrão no interior.

Fonte: Abrainc | Outubro 2020

quinta-feira, 15 de outubro de 2020

Caixa reduz juros a pessoas físicas em financiamentos habitacionais

12:37:00

A partir de 22 de outubro, as pessoas físicas que assinarem contratos novos de financiamento habitacional pela Caixa Econômica Federal no Sistema Brasileiro de Poupança e Empréstimo (SBPE) pagarão taxas menores. O banco anunciou há pouco a redução em até 0,5 ponto percentual dos juros, que passarão a variar entre Taxa Referencial (TR) mais 6,25% ao ano e TR mais 8% ao ano, dependendo do perfil do cliente. 
















O banco estima conceder mais de R$ 14 bilhões em crédito imobiliário pelo SBPE, que financia imóveis para a classe média com recursos da poupança, até o fim deste ano. Nos últimos 22 meses, a Caixa reduziu os juros nos financiamentos da casa própria em 2,5 pontos percentuais. Em dezembro de 2018, o mutuário pagava TR mais 8,75% ao ano, como menor taxa.

O presidente da Caixa, Pedro Guimarães, apresentou o impacto da medida em uma simulação de financiamento de R$ 200 mil em 360 meses (30 anos) na taxa mais barata oferecida pelo banco. A prestação inicial, que somava R$ 1.958,48 para financiamentos concedidos em dezembro de 2018, foi reduzida em 25%, para R$ 1.568,52, nos futuros contratos a partir do dia 22.

Nas linhas de crédito corrigidas pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), que cobram IPCA mais 2,95% ao ano, a diferença é maior. Beneficiada pela baixa inflação em 2020, a prestação inicial para os novos contratos está em R$ 1.040,70, redução de 46% no valor da parcela em relação aos financiamentos concedidos em dezembro de 2018.

Carência
Guimarães também anunciou a prorrogação da possibilidade de carência de seis meses para que o mutuário comece a pagar as prestações dos novos contratos imobiliários. Na compra de imóveis novos, as pessoas físicas passarão os primeiros 180 dias pagando apenas os seguros e a taxa de administração do contrato.

A medida vale para as contratações efetuadas até 30 de dezembro e, de acordo com a Caixa, pode beneficiar mais de 30 mil clientes até o fim do ano. “Isso é muito importante, porque ainda estamos com os efeitos da pandemia. Apesar de o preço dos imóveis estarem se recuperando, entendemos que há enorme espaço para a população continuar a realizar seu investimento na casa própria”, declarou Guimarães.

A Caixa também anunciou a possibilidade de pagamento parcial da prestação para mutuários com dificuldade para retomarem o pagamento integral das parcelas. O cliente poderá pagar 75% da prestação, por até seis meses, ou entre 50% a 75% da prestação, por até três meses. Segundo o banco, a medida poderá beneficiar mais de 620 mil clientes.

Digitalização
O presidente da Caixa anunciou que os tradicionais Feirões da Casa Própria serão realizados de forma virtual em outubro e novembro. Segundo Guimarães, o formato online atende às necessidades do cliente e do mercado.
Para agilizar as contratações e evitar deslocamentos até as agências, a Caixa estenderá a todos os clientes a possibilidade de contratar o financiamento imobiliário de forma 100% digital pelo aplicativo Caixa Habitação. Até agora, o serviço estava disponível apenas nas principais cidades do país.
Atualmente, 2,3 milhões de clientes acessam os serviços por meio do aplicativo. Entre janeiro e setembro de 2020, a ferramenta registrou 326 mil transações diárias.

Estatísticas
As medidas foram anunciadas no dia em que o banco, que concentra 69% do crédito imobiliário no país, atingiu a marca de R$ 500 bilhões na carteira de crédito imobiliário. Desde janeiro de 2019, o volume emprestado para o crédito habitacional cresceu 13,4%, com a concessão de R$ 172 bilhões em financiamentos imobiliários, que atenderam a 887 mil famílias e 2,8 milhões de pessoas.

Fonte: Agencia Brasil | Outubro 2020

Centros Empresariais: conheça as vantagens para investir.

07:49:00

Os centros empresariais têm ganhado cada vez mais destaque no mercado, por oferecerem inúmeras oportunidades e vantagens para seus diversos públicos. Tanto o empresário, quanto seus colaboradores e clientes tem muito a ganhar ao conectarem seus negócios a eles.

Para escolher o espaço ideal, é preciso levar em consideração alguns pontos que atendam bem às suas necessidades enquanto profissional, e às necessidades do seu negócio. Listamos a seguir, alguns deles:

 

Localização

É indispensável escolher uma localização com visibilidade e fácil acesso à outras localidades. Edifícios em avenidas onde circulam muitas pessoas na região, seja a passeio, a caminho do trabalho ou para chegar a suas casas atraem mais pessoas para o seu negócio.

Uma dica valiosa é perceber quais regiões oferecem uma perspectiva de desenvolvimento comercial contínuo para a evolução e sucesso do seu negócio a longo prazo. Além do próprio crescimento urbano onde possibilite surgimento de novos negócios e empreendimentos comerciais e de serviços, a exemplo de clinicas restaurantes, hotéis, etc...

 


Networking

A concentração de empresas de diversos segmentos em um só lugar, além de facilitar a prestação de serviços entre si, abre as possibilidades para estabelecer redes de contatos, o que é hoje indispensável para o desenvolvimento de qualquer profissional.

Trabalhar num espaço onde você está conectado a outros profissionais agrega troca de experiências, conhecimento e melhora as oportunidades mútuas nas carreiras, serviços e demandas são geradas no próprio empreendimento. 

 



Estrutura pensada para o seu negócio

Conectar o seu negócio a um edifício planejado para escritórios, consultórios ou lojas proporcionam mais comodidade para os usuários. Contar com ambientes projetados para atender as demandas das empresas proporciona um maior eficiência e bem-estar nas atividades (saiba mais sobre Neuroarquitetura).

Na escolha do seu empresarial, opte por àqueles que oferecerem áreas comuns equipadas que possam ser utilizadas por todos os condôminos, como sala de reuniões, bicicletário, ambientes ao ar livre para reuniões ou happy hour. 

 


Tranquilidade e Segurança

Outra vantagem que um empresarial oferece é o corpo administrativo com profissionais especializados para a manutenção do centro, prontos a solucionar suas demandas comuns e imprevistos. Além de possuir um sistema de vigilância, com sala de CFTV, por exemplo de monitoramento de acesso.

Os estacionamentos integrados também beneficiam os usuários dos centros comerciais, já que facilitam o acesso e mobilidade. Na escolha do seu empresarial, opte por àqueles que ofereçam diferenciais, como bicicletário com vestiário para condôminos e funcionários.

Estando bem amparado nestes pontos, você consegue focar nos melhores resultados com maior facilidade. Esta é a grande vantagem em investir em um centro empresarial para seu negócio.


Investimentos

Diante dos possíveis investimentos no mercado imobiliário, a modalidade de associação tem ganhado destaque no mercado por oferecer para o investidor, vantagens que vão além dos produtos corporativos tradicionais, como o preço de custo e maior liberdade nos projetos de arquitetura.

Segundo o diretor comercial e arquiteto Expedito Júnior, sócio-fundador da Immobile Arquitetura e da Nova Sergipe, o método associativo é uma formatação onde os aderentes ao grupo formado assumem o desenvolvimento e construção do empreendimento. Em boa parte dos casos, este grupo é administrado por empresas gestoras ou profissionais.

As associações tem regras e formações legais que cabem os interessados conhecerem, assim como outros tipos de investimentos. Devendo ser levado em consideração não apenas o produto imobiliário, mas a própria formação dos custos do grupo de investidores associados, das regras, controle contábeis, dentre outros passos.

Lembrando que as associações não são incorporações imobiliárias tradicionais, onde há uma relação de compra e venda entre o interessado do imóvel com a incorporadora.


Este é o caso do Nexus Empresarial. O projeto assinado pela Immobile Arquitetura e administrado pela Nova Sergipe que segue a preço de custo sob o formato de associação pró-construção será edificado na Coroa do Meio, bairro em franco desenvolvimento econômico e comercial de Aracaju. Saiba mais dos seus diferenciais em www.nexusempresarial.com.br

Gostou da matéria? Deixe o seu comentário e compartilhe nossos conteúdos.

Sobre a

IMMOBILE Arquitetura

Ela foi idealizada em 2008 pelo arquiteto e urbanista Expedito Junior, com o objetivo de criar e implementar projetos de alta performance e profundidade técnica, executados para atingir os melhores índices de rentabilidade de acordo com a individualidade de cada empreendimento e negócio. Constituída por uma equipe de profissionais que possuem diferentes visões de mercado, procuramos manter um relacionamento estreito com os investidores, construtores e principalmente possibilitando a maior eficiência e agilidade nos processos de criação, regularização e entrega.




Assine a nossa newsletter para receber as últimas notícias do blog diretamente em seu E-mail. Fique tranquilo, também não gostamos de SPAM

Você também pode gostar