terça-feira, 29 de novembro de 2016

SketchUp Viewer permite manipular modelos 3D sob a forma de hologramas no mundo real

08:52:00

A Trimble, desenvolvedora do software SketchUp, acaba de lançar o SketchUp Viewer, um aplicativo que mescla realidade virtual e mundo real adaptado ao Microsoft HoloLens, que permitirá aos usuários manipular e experienciar seus modelos 3D de um modo completamente novo. Usando os recursos holográficos do HoloLens, o SketchUp Viewer cria versões em holograma de modelos que podem ser colocados em ambientes reais, permitindo que os arquitetos estudem e analisem como seus edifícios reagirão aos seus contextos ainda na fase de projeto.


Na apresentação oficial do produto, o arquiteto Greg Lynn mostrou a tecnologia através de um modelo da fábrica Packard em Detroit, criada como parte da mostra “Architectural Imagination" do Pavilhão dos EUA na Bienal de Veneza de 2016.

"A tecnologia traz o projeto à vida e abre espaço entre o digital e o físico. Com esta tecnologia, posso tomar decisões no momento inicial, encurtar o ciclo de projeto e melhorar a comunicação com meus clientes", disse Lynn.


O SketchUp Viewer usa a nova extensão AR | VR para SketchUp Desktop e é compatível com modelos do 3D Warehouse da Trimble e da plataforma de colaboração baseada em nuvem Trimble Connect. Uma vez em modo Tabletop, os modelos podem ser dimensionados conforme necessário para caber em um espaço disponível ou para ampliar detalhes específicos. Os modelos podem ser movidos, girados, afixados e relocados no espaço físico, possibilitando aos usuários andar em torno do projeto e examiná-lo a partir de qualquer ponto de vista.

"O que diferencia o SketchUp Viewer de qualquer outro produto no mercado é a capacidade de os usuários fazerem a transição para uma experiência imersiva de modo tão natural", explicou a Trimble. "A realidade mista oferece oportunidades únicas de superposição de modelos físicos em ambientes reais; e como um dispositivo completamente móvel, o HoloLens permite que os usuários se movam livremente pelo ambiente digital."

Além de suas ferramentas de visualização, o SketchUp Viewer também contará com uma tecnologia de colaboração remota, permitindo que arquitetos e consultores de todo o mundo trabalhem juntos no mesmo modelo e em tempo real. 


"Empoderar as pessoas para que possam projetar e se comunicar melhor em 3D é parte do nosso DNA. Através da plataforma SketchUp, estamos comprometidos com a ideia de que a tecnologia não pode atrapalhar o caminho de nossos usuários", disse Chris Keating, gerente geral do SketchUp. "Com o SketchUp Viewer, estamos dando outro grande passo para oferecer a melhor experiência para os arquitetos e seus clientes - a experiência de habitar seu próprio trabalho".

Mais informações sobre o SketchUp Viewer, aqui. A extensão AR | VR para o SketchUp Desktop pode ser encontrada no Extension Warehouse do SketchUp. O dispositivo do Microsoft HoloLens está disponíveis para compra na Microsoft Store, aqui.

Matéria publicada originalmente no site archdaily.com

Faça um passeio virtual pelo Dominion Office Building de Zaha Hadid

08:30:00

Clique nas imagens abaixo para 🔎:





Maksim Sodomovsky, da iVision3D, criou um passeio virtual pelo Dominion Office Building, projetado por Zaha Hadid Architects em Moscou, Rússia. Concluído em 2015, o projeto está entre as novos empreendimentos construídos para dar suporte ao crescimento das indústrias criativa e de tecnologia na região sudoeste da capital. O projeto é organizado em uma série de planos empilhados conectados por elementos curvos em torno de um átrio central que permite a entrada de luz natural no interior da edificação. 

Faça o passeio virtual, a seguir:


Dominion Tower by ZAHA HADID

Matéria publicada originalmente no site archdaily.com

segunda-feira, 28 de novembro de 2016

Artista desenha obras icônicas de arquitetura usando um "Traço Mágico"

08:21:00
Muitas pessoas já utilizaram em algum momento um "Traço Mágico" esse brinquedo da infância que criara inúmeras casas de aparência precária e figuras de pauta questionáveis ​​desde sua invenção na França, em 1960. No entanto, para alguns fanáticos, o desafio é simplesmente parte da diversão. 

Nas mãos da artista Jane Labowitch, o que poderia ser mais uma rabisco passa a ser uma obra de arte. Com uma meticulosa abordagem ao detalhe, ela pode criar requintadas obras usando, essencialmente, dois mostradores de plástico branco. Para cima, para baixo, lado a lado. Isso é tudo o que é preciso para copiar obras de arte tão complicadas como Seurat's A Sunday no Grande Jatte.

Desde os quatro anos ela aperfeiçoa suas habilidades de desenho nesta ferramenta, recriando obras de arte, arquitetura e cultura pop. Gastando até 20 horas nas peças mais complicadas, Labowitch cria seus desenhos em vários tamanhos.

Veja a seguir algumas dessas obras;



Veja outros trabalhos da artista, aqui.

Matéria publicada originalmente no site archdaily.com.

terça-feira, 22 de novembro de 2016

De Breaking Bad a Stranger Things: 7 plantas de grandes sucessos da TV

03:40:00
As plantas das séries de televisão contam uma história interessante, oferecendo ao espectador uma dimensão extra de um mundo com o qual já esta familiarizado. Uma nova série de posters com plantas da Homes.com traz a planimetria da arquitetura presente em grandes sucessos: "Gilmore Girls", "Buffy, a Caça-vampiros", "Arrested Development", "Breaking Bad", "Mr Robot", "Sherlock" e "Stranger Things", uma seleção para todos os gostos.

Gilmore Girls


♪♪ Where you lead, I will follow ♪♪... Independente se você gosta mais da Jess, Logan ou Paul Anka, esta casa serve como reconstrução espacial do set em Stars Hollows, em tempo para o revival do Netflix. A planta está detalhada até o ponto onde é possível ver comida de fast-food na mesa da cozinha.
Buffy, a Caça-Vampiros


Até mesmo os adolescentes que lutam contra os não-mortos necessitam um teto. Enquanto o lar de Buffy é uma simples casa em Torrance, Califónia, os vampiros de Sunnydale preferem uma mansão projetada por ninguém menos que Frank Lloyd Wright.
Arrested Development


Lentamente caindo aos pedaços em cada episódio, esta casa foi detalhada com as pegadas do aspirante "Blue Man" Tobias, o quarto convenientemente secreto para os segredos da família e uma perfeita varanda para as entradas de Mrs. Featherbottom.
Breaking Bad


Muitos poderiam acreditar que Breaking Bad anunciou a "era de ouro da televisão", e aqui está a casa onde tudo começou. Mesmo que a gente não veja na planta, é fácil imaginar a pizza em algum lugar por cima da porta da garagem.
Mr. Robot


Os interiores do Mr Robot não passam despercebidos por seu poderoso cenário. As perguntas mais desconcertantes dos espectadores são: O que havia no apartamento de Elliot? É possível ver nesta planta?
Sherlock


A incrível sala vermelha, com as poltronas icônicas de Sherlock e John, com o Grand Confort LC3 de Le Corbusier num curioso verde. Enfim, esta é a legendária casa no 221B Baker Street.

Matéria publicada originalmente no site homes.comarchdaily.com.


quinta-feira, 17 de novembro de 2016

Governo lança programa social de reformas para famílias de baixa renda

13:07:00
O governo anunciou na última semana o Cartão Reforma, criado para atender as famílias de baixa renda. O programa vai oferecer o valor médio de R$ 5 mil às famílias com renda bruta de R$ 1.800 para a compra de materiais de construção para reforma, ampliação ou conclusão de moradias.

A quantia que cada família vai ganhar vai variar entre R$ 2 mil e R$ 9 mil, dependendo da reforma a ser realizada. Caberá às prefeituras selecionar os bairros ou comunidades que serão beneficiados. As autoridades locais farão visitas para identificar as necessidades de cada morador — que receberá o cartão emitido pela Caixa Econômica Federal já no valor estipulado para o serviço. A compra do material de construção poderá ser feita nas lojas credenciadas ao banco.


O início do programa está previsto para 2017 com orçamento inicial de R$ 500 milhões. Os recursos serão repassados pelo Ministério das Cidades, via Caixa Econômica Federal. No Brasil, existem 7,8 milhões de moradias que precisam ser reformadas. Destas, 3,6 milhões pertencem às famílias que se encaixam no programa, segundo o ministério.

Durante o lançamento, ocorrido no Palácio do Planalto, o presidente Michel Temer defendeu a geração de empregos e disse que o cartão tem o objetivo de "fazer com que a pessoa tenha cada vez mais condições mais dignas". "Não há outra fórmula de gerar emprego senão incentivar a iniciativa privada. Quando milhares de pessoas vão às lojas de material de construção, elas estão contratando empregados", afirmou.

O ministro das Cidades Bruno Araújo diz que o programa é flexível e que os Estados e municípios podem disponibilizar mais recursos para demandas locais. “Estamos conscientes de que é preciso construir um programa transparente, duradouro e sustentável para que esta parceria ultrapasse governos e colabore com a queda do déficit habitacional qualitativo”, explica.  "O programa vai cuidar de brasileiros que ao longo dos anos conseguiram construir a sua habitação com grande sacrifício, mas são ainda precárias e sem condições de desenvolver com qualidade o futuro das suas famílias", detalhou.



A contrapartida, de acordo com a pasta, é que os beneficiários sejam responsáveis pela mão de obra, orientados por técnicos oferecidos pelos governos. "Recebendo 15% dos recursos do programa, os Estados e municípios vão contratar, através da assistência técnica, arquitetos, engenheiros, urbanistas e demais profissionais para auxiliar as famílias", informou Bruno Araújo.

Os beneficiários do programa não serão obrigados a comprar os materiais em uma loja específica. Eles poderão escolher o estabelecimento de sua preferência.

Além de prever a melhoria de casas das famílias de baixa renda, o Cartão Reforma também tem o objetivo de estimular a indústria nacional, os comércios locais e gerar emprego e renda para a região.

Matéria publicada originalmente no site zapimoveis.comglobo.comuol.com



quarta-feira, 9 de novembro de 2016

Caixa reduz taxa de juros para financiar a casa própria

09:26:00

A Caixa Econômica Federal anunciou nesta terça-feira (08/11/2016) um corte na taxa de juros cobrada nos financiamentos imobiliários. As novas regras entram em vigor a partir desta quarta-feira (09/11/2016) e valem só para novos contratos. Veja como ficam as taxas:

No Sistema Financeiro de Habitação

O Sistema Financeiro Habitacional (SFH) regula a maioria dos financiamentos imobiliários no Brasil. Para se enquadrar neste sistema, o imóvel deve custar, no máximo, R$ 750 mil em São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais e Distrito Federal. Nos outros Estados, o limite máximo do imóvel é de R$ 650 mil.
  • Para quem não é cliente do banco: caiu de 11,25% para 11% ao ano;
  • Para quem é cliente, mas não tem conta corrente no banco: caiu de 11% para 10,75% ao ano;
  • Para quem tem conta no banco: baixou de 10,5% para 10,25 ao ano;
  • Para servidores públicos: baixou de 10,5% para 10,25 ao ano;
  • Para servidores que recebem salário no banco: baixou de 10% para 9,75% ao ano.
No Sistema de Financiamento Imobiliário

O Sistema Financeiro Imobiliário (SFI) regula todos os financiamentos que não se enquadram no SFH e é voltado, principalmente, para grandes investidores institucionais.
  • Para quem não é cliente do banco: caiu de 12,5% para 12,25% ao ano;
  • Para quem é cliente, mas não tem conta corrente no banco: baixou de 12% para 11,75% ao ano;
  • Para quem tem conta no banco: baixou de 11,5% para 11,25% ao ano;
  • Para servidores públicos: baixou de 11,5% para 11,25% ao ano;
  • Para servidores que recebem salário no banco: caiu de 11% para 10,75% ao ano.
Para quem recebe salário em uma conta no banco e comprar um móvel novo ou na planta cuja construção seja financiada pela Caixa, as taxas de juros baixaram de 11,25% para 9,75% ao ano pelo SFH, e de 12,5% para 10,75% ao ano pelo SFI.

Diminuição do valor mínimo de financiamento

Além de baixar os juros, a Caixa reduziu também o valor mínimo de financiamento no SBPE (Sistema Brasileiro de Poupança e Empréstimo), que passou de R$ 100 mil para R$ 80 mil.

A medida busca atender o mercado de imóveis populares novos ou usados que necessitem de menor valor para o financiamento.

Caixa pode influenciar outros bancos



A decisão de baixar os juros pode influenciar outros bancos, já que a Caixa, principal financiador de imóveis do país, serve de referência para o restante do mercado. Segundo o banco, a Caixa já aplicou R$ 66,2 bilhões em financiamento imobiliário neste ano e a expectativa é aplicar mais R$ 26,8 bilhões.

A medida faz parte do primeiro pacote do banco para incentivar o setor imobiliário após o Banco Central baixar a taxa básica de juros (Selic).

Em março, ainda no governo de Dilma Rousseff, a Caixa havia aumentado as taxas de juros para financiar a casa própria.

Matéria publicada originalmente no site Economia.uol


Sobre a

IMMOBILEArquitetura

Ela foi idealizada em 2008 pelo arquiteto e urbanista Expedito Junior, com o objetivo de criar e implementar projetos de alta performance e profundidade técnica, executados para atingir os melhores índices de rentabilidade de acordo com a individualidade de cada empreendimento e negócio. Constituída por uma equipe de profissionais que possuem diferentes visões de mercado, procuramos manter um relacionamento estreito com os investidores, construtores e principalmente possibilitando a maior eficiência e agilidade nos processos de criação, regularização e entrega.




Assine a nossa newsletter para receber as últimas notícias do blog diretamente em seu E-mail. Fique tranquilo, também não gostamos de SPAM

Você também pode gostar